Varizes dos Membros Inferiores

Varizes dos membros inferiores é a doença vascular mais comum, por isto é o maior motivo de consultas nos consultórios dedicados ao diagnóstico e tratamento das doenças circulatórias.

A doença pode se manifestar já na adolescência. É muito mais comum no sexo feminino, mas o sexo masculino também é bastante acometido pelas varizes. A doença tem forte correlação genética familiar, agravadas por fatores como gestações, obesidade, sedentarismo, longos períodos de ortostatismo (profissões que exijam muito tempo em pé, com pouca locomoção, como balconistas, recepcionistas, etc), uso de hormônios femininos e o próprio envelhecimento natural.

É importante salientar que nem todos os vasos visíveis nas pernas representam doença varicosa. Para ser varize, as veias devem ser tortuosas e dilatadas (com mais de 3 mm de diâmetro). Outra característica, é que as varizes são veias que perderam a função de ajudar no retorno do sangue. Este dado é importante porque grande parte dos sintomas (queixas) provocadas pela doença advém deste fato. Também é importante esclarecer que sendo as varizes veias doentes e sem função suas eliminações não provocam falta ou déficit ao sistema circulatório. Com a retirada dos vasos doentes, o retorno venoso ocorre de modo melhor pelas veias saudáveis e os sintomas tendem a desaparecer.

Também deve ser esclarecido que as varizes podem e devem ser tratadas quantas vezes for necessário, não havendo limites sobre a quantidade de cirurgias de varizes possíveis de serem realizadas.

Microvarizes são pequenos vasos intradérmicos que possuem menos de 1 mm de diâmetro. Embora considerados feios e desagradáveis pela maioria das pessoas, eles não constituem doença, sendo apenas uma característica presente na raça humana. Estes micro vasos não se transformarão em varizes e seus tratamentos se justificam pelo lado estético. Vale ressaltar, que independentemente dos métodos terapêuticos utilizados para o seu tratamento, a tendência pessoal do portador não será modificada, e o aparecimento de novas Microvarizes é comum.

Os sintomas mais comuns decorrentes da doença varicosa são cansaço e indisposição manifestadas nos membros inferiores ao entardecer. Estes sintomas costumam piorar nos dias mais quentes, em situações de ortostatismo prolongado, em viagens, e no período pré-menstrual. Algumas vezes a queixa de edema (inchaço) nas pernas pode estar presente, principalmente nos casos mais avançados. As Microvarizes, têm forte conotação estética, mas alguns pacientes se queixam de ardência no local onde elas estão presentes.

As complicações mais usuais das varizes são as tromboflebites (tromboses em veias varicosas), as varicorragias (sangramentos oriundos de varizes), as manchas nas pernas como o eczema varicoso e a dermatite ocre (mancha escura proveniente da insuficiência venosa crônica). O estágio final da doença varicosa não tratada adequadamente, pode ser a úlcera varicosa, quase sempre localizada próximo a face interna dos tornozelos, onde a pressão capilar venosa é mais elevada.

Os tratamentos disponíveis devem se adequar ao estágio que a doença se encontra.

  • Microvarizes são tratadas através das escleroterapias com esclerosantes convencionais, espumas ou luz pulsada;
  • A varize é uma doença progressiva e quanto mais precoce for o tratamento melhor será o resultado e menores serão as complicações da própria doença;
  • O tratamento cirúrgico está indicado para todo portador de doença varicosa que apresente boas condições de saúde para sua realização;
  • O tratamento clínico, com uso de meias elásticas, medicações via oral e cremes para uso tópico deve ser utilizado nos pacientes com elevado risco cirúrgico (idade avançada, doenças cardíacas, etc.) ou nos que por algum motivo recusam o tratamento cirúrgico;
  • O tratamento das complicações deverá ser adequado e individualizado de acordo com o quadro apresentado.
Microvarizes
Microvarizes